segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Lembrando as fábulas de Esopo



A Leiteira e o balde de leite

Joana, carregando na cabeça um balde de leite, dirigia-se rapidamente para a aldeia. A fim de andar mais depressa, tinha posto uma roupinha ligeira e sapatos bem cômodos.
Ia leve como o vento. Em seu pensamento, já estava vendendo o leite e empregando o dinheiro.
- Compro cem ovos e ponho para chocar. Posso muito bem criar pintos ao redor da casa. Quando crescerem, vendo todos e tenho um bom lucro. Com esse dinheiro, compro um leitãozinho. Em pouco tempo, terei um porco bem gordo, pois só comprarei o leitão se já for gordinho.Cobro um bom preço pelo porco e compro uma vaca. Terá que vir acompanhada de seu bezerrinho. Será uma graça vê-la saltar pelo quintal.
Joana, entusiasmada, saltou também. O balde caiu de sua cabeça e o leite derramou-se no chão. Adeus bezerro, vaca, porco, leitão, ninhada de pintos!
A pobre Joana voltou para casa e com medo que o marido brigasse com ela. - É fácil fazer castelos no ar – pensava .- Nada mais gostoso. Na minha imaginação, posso virar rainha, usar coroa de diamantes e ter súditos que me adorem. Nada disso dura muito: uma coisa à-toa acontece e volto a ser a Joana!

Um comentário:

Adriana disse...

Ótimo carnaval, querida!!!
Beijos